Fibromialgia e Gravidez

As mulheres com Fibromialgia que pretendam engravidar pela primeira vez ou voltar a engravidar devem consultar e conversar com o seu médico assistente para um acompanhamento adequado para a mulher e para o bebé. Esta necessidade de acompanhamento médico antes e durante a gravidez é muito importante, pois em alguns casos certos sintomas da Fibromialgia como a dor e a fadiga podem ser confundidos com sintomas de gravidez, o que pode levar a um tratamento inadequado. Por outro lado, o stress adicional em ter um bebé pode agravar os sintomas da Fibromialgia, fazendo com que se sinta pior e que leve a mulher a ter receio em engravidar.

De fato, é possível gerir e controlar a Fibromialgia durante a gravidez, desde que se tenha em conta os efeitos da gravidez nos sintomas da Fibromialgia e que se mantenha em contacto com o seu médico assistente no caso de poder ocorrer um agravamento dos sintomas. Assim, deve ser acompanhada pelo seu médico obstetra nas consultas de rotina pré-natais e durante toda a gravidez, para que esse processo decorra com normalidade.

Para que o processo de gravidez decorra com normalidade sem agravar os sintomas da Fibromialgia, deverão ser tido em consideração alguns aspetos que são descritos de seguida e que abordam temas pertinentes para as mulheres com Fibromialgia que pretendam engravidar.

A Fibromialgia afeta a gravidez?

Não existem muitos estudos sobre a Fibromialgia em grávidas e quais os efeitos das condições entre si, porém em alguns estudos foi descrito que as mulheres podem sentir mais dor durante a gravidez do que mulheres que não sofrem de Fibromialgia e que os sintomas da Fibromialgia podem agravar-se durante a gravidez. Nestes casos a mulher pode experienciar dor acentuada, fadiga e stress psicológico, especialmente nos primeiros três meses.

No entanto, outros estudos mencionam que durante a gravidez algumas mulheres com Fibromialgia apresentam uma melhoria dos seus sintomas, como a diminuição da dor e da fadiga, o que acaba por não perturbar o período de gravidez.

Estas alterações e efeitos da gravidez na mulher com Fibromialgia deve-se ao aumento substancial da quantidade de hormonas no corpo, associado ao aumento de peso, que leva à alteração das suas formas habituais a um certo desequilíbrio do corpo. Durante a gravidez, muitas mulheres sentem enjoos e fadiga, principalmente nos primeiros três meses de gestação e por isso os sintomas da Fibromialgia podem ser frequentemente confundidos e diagnosticados como sendo parte normal da gravidez.

A Fibromialgia pode ser desencadeada durante a gravidez?

A gravidez é uma potencial fonte de stress quer se viva ou não com Fibromialgia, seja pela vontade em engravidar, seja pelo processo de gravidez e pelo trabalho de parto, sendo todos estas fases de stress. É de realçar que ao mesmo tempo na gravidez ocorrem mudanças hormonais com alterações dos níveis de estrogénio, progesterona entre outras hormonas, que podem condicionar o aparecimento de alguns sintomas similares aos da Fibromialgia. O período pós-parto costuma ser um período difícil para as mães e, desse modo, é importante ter em conta que poderá ocorrer um aumento da dor e de outros sintomas que podem ocorrer após o parto e claro está, dos sintomas da Fibromialgia.

Os medicamentos para a Fibromialgia são seguros durante a gravidez?

Segundo muitos estudos, nenhum medicamento para o tratamento da Fibromialgia é completamente seguro para utilização durante a gravidez, tal como acontece com a toma de medicação quando uma mulher, sem Fibromialgia, pretende engravidar. A recomendação dos médicos é que as mulheres com Fibromialgia parem a toma de analgésicos e antidepressivos antes de engravidar, de modo a eliminar os vestígios de medicação no organismo e permitindo que o corpo se possa preparar para o processo de gravidez.

Não obstante este fato, se pretende engravidar deve conversar com o seu médico antes de cessar a toma de qualquer medicamento, pois cada caso deve ser avaliado de forma personalizada, tendo em conta o estado de saúde da mulher e os medicamentos que possa estar a fazer.

Pode-se tomar medicamentos para a Fibromialgia durante a gravidez?

Poderão existir alguns medicamentos específicos para ajudar a controlar os sintomas da Fibromialgia e que não apresentam riscos para a mulher grávida e para o feto, no entanto não deve ser tomado qualquer medicamento sem o conhecimento e a aprovação do seu médico assistente e do médico obstetra.

É importante saber que os médicos tentarão encontrar o melhor regime medicamentoso para a mulher que pretende engravidar ou que está grávida, pois o principal objetivo é que não haja um maior agravamento dos sintomas da Fibromialgia e que a mulher não queira engravidar com o receio de não ter os sintomas da doença controlados.

Cada caso será avaliado de forma individualizada e personalizada, permitindo um processo de gravidez saudável e harmonioso.

Quais são os tratamentos recomendados para a Fibromialgia durante a gravidez?

Tendo em conta que a gravidez pode afetar os sintomas da Fibromialgia, com o seu possível agravamento é importante encontrar diversas estratégias que são importantes para ajudar a mulher que quer engravidar e que não pode tomar medicação para o controlo dos sintomas da Fibromialgia. Qualquer estratégia e tratamento não farmacológico devem ser avaliados de doente para doente e de forma individualizada, pois cada mulher irá responder aos mesmos de forma diferente. Alguns estudos recomendam tratamentos para as grávidas com Fibromialgia as massagens, a prática de exercício físico (de forma lenta e gradual), yoga, meditação e descanso.

Para as grávidas com Fibromialgia, com a fadiga e dor constante, recomenda-se períodos de descanso entre 20 a 30 minutos, pelo menos duas a três vezes por dia. De modo a atenuar a dor mais localizada, recomenda-se a aplicação de calor húmido duas vezes ao dia e de igual modo, um duche ou banho quente, com a temperatura da água até os 37ºC e limitando o tempo do banho a 15-20 minutos de cada vez.

Uma referência de alguns estudos é que a água com temperaturas muito elevadas aumentam a temperatura corporal do corpo para 38ºC ou para uma temperatura superior, o poderá causar defeitos congénitos no bebé.

O exercício é importante para a Fibromialgia e para a gravidez?

Como se sabe a prática de exercício físico ajuda a manter a forma do corpo, fortalecendo os músculos, mantendo as articulações flexíveis e melhorando o humor através do aumento da serotonina no seu corpo, sendo que a serotonina é um dos neurotransmissores que segundo os cientistas tem uma relação estabelecida com a Fibromialgia e com o processamento da dor.

O exercício atua como um tranquilizador natural, ajudando a aumentar a atividade da serotonina no cérebro. Estudos comprovam que o exercício ativa também a libertação de epinefrina e norepinefrina, conhecidos por aumentar a capacidade de atenção.

A falta de exercício físico pode diminuir os níveis de serotonina e, por isso, a sua prática aumenta os níveis deste neurotransmissor no cérebro estando associados efeitos calmantes, a redução da ansiedade e, em alguns casos, a sonolência.

É importante ter em conta que cada mulher grávida irá responder de forma diferente à prática de exercício, pelo que é preciso conversar com o seu médico para saber qual o exercício adequado para si, de modo a que não aumente a gravidade dos sintomas e que promova bem-estar durante a gravidez.

Quais os exercícios que se pode fazer durante a gravidez?

A nível de exercícios que possam ser realizados por mulheres grávidas com Fibromialgia são recomendados alongamentos e a manutenção das atividades e rotinas diárias.

É recomendado, por exemplo, a prática de exercício físico numa piscina de água quente, pois o calor ajuda a diminuir as dores e os alongamentos e outros exercícios suaves, dentro de água, ajudam a manter os músculos e as articulações flexíveis e fortes.

Para a prática de exercício físico na piscina é muito importante ter em conta que a temperatura da água deve estar agradável, mas não demasiado quente, com temperaturas entre 28º aos 31ºC são normalmente as indicadas para o exercício físico, no caso da gravidez, dados os riscos para o desenvolvimento do feto, ao praticar exercício uma piscina com temperaturas muito elevadas.

Também são recomendados outros exercícios para a mulher grávida com Fibromialgia, tais como o tai-chi e o yoga, tendo em conta que os exercícios terão que ser adaptados caso a caso, dadas as alterações do corpo da mulher grávida.

Autor: Ricardo Fonseca

Este artigo foi escrito pelo autor para utilização pela Myos e não pode ser reproduzido em outros sites, blogues e páginas, sem a expressa autorização do autor e da Myos.

Se gostou deste artigo partilhe através deste link.

Fontes:

https://www.webmd.com/fibromyalgia/guide/fibromyalgia-and-pregnancy#1

http://www.fibromyalgia-symptoms.org/pregnant-with-fibromyalgia.html

http://www.fibromyalgia-associationuk.org/dmdocuments/Fibromyalgia%20&%20Pregnancy.pdf

http://informahealthcare.com/doi/abs/10.3109/14767058.2010.551152?journalCode=jmf

Tags:
CategoryParentalidade e Gravidez

Leave a Reply